Looooog weeked

maio 25, 2010

Esse final de semana teve feriado na Segunda e hoje está difícil de voltar pra realidade.

Com amigos do Brasil por aqui a gente só quer saber de bater perna e sentar nos patios pra aproveitar o sol maravilhoso, parece até que o verão já chegou!

Mesmo assim ainda achei tempo pra estudar, passear com o Gigico, e assistir as duas season finales mais esperadas ever! Lost e 24 chegaram ao fim e deixaram um enorme vazio nas nossas vidas televisivas. Agora estou correndo pra dar conta de vários trabalhos, reuniões e eventos que acontecem essa semana. E meu amigos ainda ficam aqui até a próxima segunda, então posso esperar outro final de semana cheio de passeios turísticos por Ottawa, amo ❤

Anúncios

Amsterdam – Day 2: Van Gogh Museum

maio 20, 2010

No dia seguinte puxei papo com a colega de quarto enquanto tomávamos café no albergue, ela também estava sozinha então decidimos sair juntas pra explorar a cidade. Pelo menos ela tinha um guia! Hahaha. Eu só sabia que queria ver o Van Gogh Museum e os canais.

Fomos direto pro museu, parando pra pedir direções pra pessoas na rua, todos muito gentis e educados e todos falam inglês, notamos que eles são bem orgulhosos dos vários museus da cidade. Quando a gente perguntava onde fica o museu, eles sempre perguntavam: “Qual museu? Tem vários!”.

O museu Van Gogh não tem uma arquitetura impressionante então a gente acabou encontrando ele mais pela fila de pessoas do lado de fora do que pelo prédio mesmo. A Melissa tinha o city pass que dá entrada grátis, eu fui pra fila que até andou bem rápido. Achei a entrada caríssima, 14 Euros, ouch!

O Van Gogh é o meu impressionista favorito, e o Starry Night é o meu quadro preferido no mundo inteiro, foi a maior emoção quando o vi no MOMA em NY. E por falar nisso, veja o anúncio que tem lá no Museu Van Gogh, eu ri muito!

Traduzindo: “Se você está procurando pelo Starry Night ele está localizado no MOMA em NY, obrigada pela compreensão!”

O museu tem mais de 200 quadros e inclui outros impressionistas, nas paredes podemos ler sobre a história do impressionismo e sobre as várias fases de Van Gogh. O que me conquista em Van Gogh é que ele tão melancólico, ele via e pintava as cores mais lindas que eu já vi, tirando inspiração de cenários simples da natureza mas ao mesmo tempo era tão deprimido e perturbado. Seus auto-retratos prendem a minha atenção de uma maneira que nenhum outro pintor consegue, e eu não consigo deixar de procurar entender alguma coisa no olhar triste dele.

pelo jeito todo mundo se sente assim.


Amsterdam – Day 2 – Walking Tour

maio 19, 2010

Disclaimer: Favor não rir do meu cabelo. Eu já superei esse bendito corte. E o clima estava muito húmido tá?!

Saímos do Museu Van Gogh pro centro de informação turística que fica na frente da estação central, a Melissa tinha visto um panfleto sobre um tour grátis promovido pela prefeitura, parte da iniciativa I AMSTERDAM, nem tivemos tempo de parar pra comer, pegamos qualquer coisa na lanchonete do lado e fomos encontrar o grupo.

Adorei a energia da nossa guia, Kendra, uma americana do Alasca e aluna de mestrado que voluntaria nos tours em troca de uma gorjeta. Caminhamos e ouvimos sobre a história de Amsterdam, visitamos prédios históricos e outros mais modernos e entramos no De Dampkring, o famoso “coffee shop” que aparece no Ocean’s Eleven. Tivemos pausa pra um dos melhores (e mais caros) mochaccinos que já tomei na vida e no final o paramos pra uma cerveja no Boom Chicago, onde eu finalmente tive acesso à wi-fi!!! Yay!

Mais informações sobre as fotos podem ser encontradas do flickr aí do lado.


Amsterdam – First Night

maio 19, 2010

Vou começar a escrever sobre a viagem de trás pra frente já está mais fresquinho na memória.

Depois da semana de curso intensivo na Bélgica, eu peguei um trem de Leuven pra Amsterdam com uma parada em Antwerpen (Antuérpia) onde me atrapalhei, perdi o trem e cheguei mais tarde do que planejado (era pra ser só duas horas, acabou sendo 3!). Mas tudo bem, eu estava sozinha livre, leve e solta, sem horário pra nada, sem compromisso com ninguém.

Essa foi a minha primeira viagem sozinha EVER! Deu um medinho pensar que eu iria pegar um trem pra um outro país onde ninguém me conhecia. Mas eu estava louca pra conhecer Amsterdam, então tinha que ser assim mesmo! Cheguei na estação central tarde da noite, coloquei a mochila nas costas e fui seguindo o mapinha do Iphone saindo na doida mesmo pra encontrar meu albergue. Eu já sabia que dava pra ir caminhando, eu queria mesmo caminhar, caía um chuva bem fininha e refrescante, as ruas lotadas de gente, bares e restaurantes.

Fiz o check in, joguei minha mochila debaixo da cama (não coube no armário) e saí pra caminhar enquanto minhas colegas de quarto já estavam na cama. Nem puxei conversa com elas, estava bem ansiosa pra ver a cidade.

O hostel fica bem no Distrito da Luz Vermelha então eu só virei a esquina e dei de cara com as “vitrines” cheias de “moças” de lingerie, grupos de meninos curtindo, vários sex shops, bares e clubes. Saí caminhando pelas ruazinhas estreitas de calçamento, me perdendo, explorando, absorvendo todo o barulho, as luzes, e os cheiros. Tudo mais sujo e bagunçado que a Bélgica, bem mais vivo e real, mas nada perigoso. Eu fiquei na minha e ninguém mexeu comigo. Tentei encontrar um wi-fi spot pra ligar pra casa mas nada. Eu estava sozinha e incomunicável. Ninguém sabia onde eu estava! Me senti “vivendo perigosamente”.


Gigico voltou

maio 17, 2010

Saiu do hospital feliz e faceiro, tomou banho e comeu bem. Eu respiro aliviada. Olha o curativo féeeeshion neon onde ele tomou soro. Tadinho.


Oi blog

maio 16, 2010

Lembra de mim?

Pois é, eu passei a semana inteira fugindo das responsabilidades, querendo um pouco mais de férias e evitando dessarrumar a mala.

Mas a vida me pegou de jeito. E as aulas começaram com tudo. Já tenho trabalhos pra escrever e livros pra ler.

O pior é que o Gigico, que já estava mal dos intestinos desde que eu cheguei, piorou na noite de sexta pra sábado e ontem levamos ele pro hospital. O bichinho está internado, talvez já saia hoje, mas estava mal mesmo, vomitando sangue. E eu me sentindo a pior mãe do mundo porque acho que foi alguma coisa que ele comeu no parque enquanto eu contemplava a paisagem… Ainda estou um pouco angustiada com isso.

Aproveitei a ausência dele ontem e fiz uma boa limpeza na casa, daquelas com água sanitária pra ficar tudo com cheiro de limpo. E lavei roupa, arrumei as coisas da viagem que ainda estavam espalhadas pela casa. A organização do espaço vem antes da organização das idéias pra mim. Agora sim eu posso sentar e escrever, ler o blogs queridos, começar a estudar. Quero terminar de baixar as fotos que amanhã já faz uma semana que eu voltei!

E meu amor já está começando a caminhar, ainda de botinha e muletas, mas já começa a fiso essa semana. Agora é só esperar a vida entrar nos eixos novamente.

Enquanto isso não acontece, vou ver as tulipas.


Cheguei

maio 11, 2010

Depois de uma viagem de trem de Amsterdam pra Bruxelas, um taxi caríssimo pro Aeroporto, vôo cancelado, vôo pra Philadelphia atrasado, quase perder a conexão pra Ottawa e chegar em Ottawa sem a minha mala, aqui estou.

Ainda cansada e com as coisas espalhadas pelo meio da casa (sim, minha mochila chegou depois) já voltei pras aulas ontem e estou amando estar de volta pro meu aconchego (hihihi, momento viúva Porcina). Hoje já postei as fotos do primeiro dia em Leuven. Aos poucos vou escrevendo mais sobre as minha impressões sobre a Bélgica e Amsterdam.

Mas por enquanto eu estou só feliz de estar de volta. Feliz de não ter levado meu laptop que iria acabar nem usando. Feliz da minha mochila ter chegado e de sair pra jantar sushi assim que cheguei. Feliz de estar de volta, assistir Lost e ficar de chamego com meus amores. Aos poucos as coisas vão voltando ao normal.