London London, o vídeo!

agosto 31, 2007

Já sei, vocês preferem ver o vídeo né?

Tá bom, tá bom…

Online Videos by Veoh.com

Anúncios

London London

agosto 31, 2007

Ontem o V. ganhou ingressos pra ver a estréia do Halloween. Eu até estava meio receiosa em ir pois tenho pesadelos horríveis quando vejo filme de terror. Mas a curiosidade foi irresistível quando soube que o remake era do Rob Zombie. E convenhamos, Halloween é um clássico.

E não me arrependi (nem depois do alarme de incêndio do prédio ter soado às 2:00 am e eu ter certeza de que era o Mike Miers nos forçando a sair de casa…), o filme é muito bem dirigido e editado. A estória é bem contada de faz sentido. A gente vê um pouco da vida do jovem Mike e seu interesse por máscaras. Daí é o básico de muito sexo e violência que leva o público ao delírio. Muito sangue.

Ao chegar em casa decidi que teríamos um jantar vegetariano…

The Europe Vacation Parte 2: London London

O guia dizia que Londres é o melhor ponto de chegada pra sua primeira viagem à Europa pois o choque cultural é bem menor. Por causa da língua e da herança cultural. Já nós escolhemos Londres porque o vôo pra lá é mais barato mesmo 🙂

Então a gente chega em Londres e levamos um choque assim mesmo. Não cultural, nem com o tamanho da fila na imigação, mas com os soldados armados mesmo. Eles seguravam aquelas metralhadoras imensas que a gente só vê em filme. Dava até medo olhar.

Pois bem, London London is lovely so como já dizia Caetano. Mas muita coisa mudou desde a década de 60. Enquanto naquele tempo ele não conhecia ninguém pra dizer hello, hoje ele ficaria impressionado com o número de brasileiros na capital braitânica. É praticamente uma colonização. Basta sentar no Piccadilly Circus por poucos minutos e você começa a ouvir português por todos os lados. A brasileirada tomou conta de Londres, não tem com escapar deles. Quer pedir pra alguém tirar sua foto? Pode pedir em português mesmo, o cara provavelmente vai ser brasileiro também.

Cinco dias em Londres é pouco pra ver tudo mas é muito pra ser recontado. Logo, vamos nos reter aos highlights:

1. Melhor atração turística Tower of London. Onde ficam as jóias da coroa ( a Elizabeth, haha), as armaduras medievais, as torres, as masmorras com instrumentos de tortura e o melhor de tudo: os comentários dos Beefeaters, típico humor inglês.

2. Maior emoção – infelizmente não foi ver a Elizabeth, da qual sou fã e súdita, mas andar de ônibus mesmo. No andar de cima, é claro. Especialmente os que fazem a linha que vai do Piccadilly à Trafalgar Square. Os caras são loucos! Dirigem rápido demais pra ruas tão estreitas. Você fica só esperando o acidente acontecer. E as curvas então? Cuidado ao descer as escadas! (Não indicado para doentes cardíacos).

3. Melhores refeições – Tea & Cake @ Caffé Concerto e Fish & Chips numa birosca de Notting Hill (não, a gente não viu a Julia Roberts por lá 😦 ). Menção honrosa pros lanches da Marks& Spencer.

4. Melhor vista da cidade – Por incrível que pareça não é a do London Eye mas a do topo da Saint Paul’s Cathedral. Talvez por causa da adrenalina de subir 434 degrais. No elevators tá nega?!

5. Best Pub – TODOS! Como a night life gira em torno do Piccadilly Circus, a melhor idéia e ficar pulando de pub em pub a noite inteira. Guiness por 3 pounds soa caro mas é um preço razoável pra quem mora no Canadá.

6. Melhor MuseuTATE MODERN. Comecei achando o prédio horroroso (é que narciso acha feio o que não é espelho) mas depois acabei me apaixonando.Uma escolha difícil, mais nós somos dois suckers por arte moderna. Please note: A entrada é grátis em TODOS os museus de Londres.

7. Menção honrosa pra Jack the Ripper walking tour. Para todos aqueles que adoram teorias conspiratórias com pitadas de terror.

Mais importante contudo são os agradecimentos aos queridos amigos Leandra e Sebastian, que nós receberam de braços abertos, nos protegeram da chuva e do frio, nos alimentaram, foram nossa companhia de pub e de conversas pela madrugada afora, nos ensinaram as gírias poshs de London e dividiram seus sonhos com a gente.

Thank You my Dears.


Parte 1

agosto 29, 2007

Desde que eu cheguei da Europa o monitoramento do uso da Internet aqui no trabalho está mais intenso. Logo, menos tempo navegando e mais tempo trabalhando.
A solução que tenho encontrado pra dar pelo menos uma postadinha por semana é escrever meu texto no word e colar no blog na hora do almoço. Mas ficar sem ler os outros blogs não ajuda na parte inspiratória do processo. Sinto saudades das minha amiguinhas (todas virtuais claro, porque nem comentários eu tenho tempo de deixar nos blogs delas).
Orkut e msn então, nem pensar, só aí já se perde contato com metade da população brasileira…

Meu grande plano pro feriado de segunda-feira (Labour Day) é passar o dia na frente do meu notebook só lendo, escrevendo e postando fotos. E ir no parque com o Gigico claro, porque o verão já está acabando.

Enquanto isso tenho tido tempo de trabalhar mais em outro projetos reais (leia-se: não virtuais) como escrever, manuscrito mesmo, meu diário da viagem. Já que o meu ideal de escrever no diário em tempo real se mostrou inviável desde o primeiro dia em Londres. A gente voltava pra casa exaustos e só queria dormir – NOTE TO SELF: da próxima vez levar só uma pocket moleskine mesmo.
Só agora estou tendo tempo pra “passar a limpo” os meus rabiscos feitos de qualquer jeito. Ao mesmo tempo vou fazendo colagens com recibos, panfletos e entradas de museus. Meu lado criativo e artesanal se manifestando. Mas a melhor parte mesmo é relembrar. Nem acredito que já vai fazer um mês que voltamos, UM MÊS, e eu ainda não consegui organizar tudo.
Quem sabe no inverno.

Pra começar vou postando aqui o que já estava salvo no meu word.

Introdução: Como tudo começou

Eu acho que esse é um dos sonhos de toda pessoa que gostava de aula de história no Brasil.
O sonho de ver todos aqueles lugares. Os palácios, os monumentos, as obras de arte que definiram a cultura ocidental. Logo, é lógico que eu também sonhava em conhecer a Europa.

Sendo assim, arrumamos as mochilas, compramos os passes de trem e reservamos os vôos e os albergues ( e o sofá-cama da casa da Lê em Londres) e partimos pra nossa aventura de 3 semanas no Velho Mundo.

O plano:

20 dias
4 países
6 cidades
1 mochila

The making of:

Flyzoom
Easyjet
Eurail
Hostels.com
Europe for Dummies
Europe
Europe on a shoestring

E lá fomos nós…


Voltando…

agosto 24, 2007

Me diga aí se você conhece alguém que tem um blog, viaja pra Europa, volta, e leva três semanas pra voltar à escrever no blog?
Pois é, daí você tira uma noção do meu senso de reponsabilidade and commitment.
Dá também pra ter uma idéia do meu atual nível de organização. Minha mesa ainda está cheia de mapas, folhetos, recibos de compras e entradas de museus.

Quem sabe agora com uma nova Flickr PRO Account a fotos não saem?
Enquanto isso o V. já postou as fotos no flickr dele e já está bolando altos vídeos pra colocar no iu-iu-iu-tubi. A mim, só resta a inveja e resignação.

******

As consequências da Europa também se manifestam de forma física. Digamos, na MINHA forma física, pois eu engordei uns 10 pounds nessa brincadeira de experimentar todos os chocolates do mundo e tomar vinho com todas as refeições ( mas o que eu podia fazer se o vinho era mais barato do que água?!).
Pois bem, desde que eu voltei estou tentando comer direitinho e manter um peso ideal. O problema é que aqui escritório existe um complô contra mim! É isso mesmo! Eu tenho certeza de que é pessoal! Veja se não tenho razão. Hoje apareceu por aqui uma ex-estagiária que sempre fazia cookies maravilhosos pra gente. E adivinha o que ela trouxe? Acertou! Cookies! E deliciosos, uns que eu nunca tinha comido na vida, de aveia com passas e chocolate… Slurp! Comi logo dois.
Daí, antes de ontem uns dos advogados voltando de férias de New Brunswick trouxe duas tortas de bluberries. Mas como nem todo mundo estava aqui pra comer, ontem ele trouxe MAIS DUAS. Eu comi “ambas as duas” vezes, claro. Entenda que essas não são meras bluberries, mas as famosas wild bluberries de New Brunswick. Eu não poderia dispensar né?
Ontem ainda a minha vizinha de cubículo decidiu que seria super-divertido comprar um kilo de jujubas pra distribuir com a galera. Na sexta-feira passada comemoramos a despedida de outra estagiária almoçando pizza e ela, gratamente, trouxe uma imensa torta de chocolate pra sobremesa. Agora me diga aí se não é algo pessoal?
Eu aqui fazendo minha parte, me controlando, trabalhando duro e esses pessoal só me atentando.

E olhe que o inverno ainda nem começou…